AMOR.COM – Moda e Cultura Nerd num filme feito para MIM!

Cássio Murilo . Há 12 meses atrás

É isso mesmo que vocês leram, meus consagrados. E digo mais: num filme BR! Me senti muito representado e muito feliz com a maneira “humana e real” que a história foi pensada.
Mas isso eu explico mais pro final. Vamos por partes…

Estava fuçando o catálogo da Netflix atrás de alguma coisa pra aliviar a mente, quando cheguei no anuncio desse filme. Nome “Amor.com” (2017), com símbolo de WiFi na logo e um casal se beijando. Romântico como sou, resolvi ler a sinopse e senti a NECESSIDADE de assistir logo depois.

No longa temos de cara a Katrina (vivida pela belíssima Ísis Valverde), uma blogueira de moda super popular no Instagram/YouTube, que faz #publis para marcas famosas e quer lançar sua própria coleção de roupas. Numa inauguração em que ela estava fazendo a cobertura, dois incidentes dão a guinada pro resto da trama: Primeiro, o sistema eletrônico da loja para de funcionar durante a inauguração e eles precisam chamar o técnico em eletrônica; Logo depois, o ex-namorado de Katrina vaza fotos intimas dela na internet e ela se vê precisando da ajuda também. É assim que ela conhece Fernando (vivido pelo belíssimo Gil Coelho), o tal técnico em eletrônica, que é um grande nerd que comanda com dois amigos um vlog sobre games. Ela pede ajuda ao nerd atrapalhado; Ele ajuda a menina bonita e popular; O resto todo mundo já viu em vários filmes… Mas não é bem assim.

“Amor.com” mostra como esses dois mundos convivem numa era onde as redes sociais, como todo mundo sabe, podem ser amigas ou inimigas das pessoas, mas numa perspectiva diferente. Não temos uma protagonista deslumbrada com a fama e isso já é um grande ponto a favor. Para aqueles que acham muita futilidade o engajamento que alguns tem com suas imagens e contas em aplicativos, o roteiro desse filme mostra como para muitos isso é realmente um trabalho. Uma forma de sustento. Uma maneira de se destacar em algo que você ama fazer. E vemos isso por dois pontos de vista: o da pessoa que já atingiu esse sucesso (Katrina) e o da pessoa que começa a perceber que há uma verdade genuína nisso, mas que é dificil alcançar.
A troca de experiencias entre eles é linda de se ver. A maneira como eles começam a entrar no mundo um do outro pelo sentimento que surge entre eles é mais linda ainda. ALERTA DE SPOILERzinho: Ver Ísis Valverde num cosplay (ou “cospobre” de preferirem) de zumbi pra agradar o nerd-mor da história é impagável. 

Claro que nem tudo são flores e uma hora os dramas começam a aparecer. Mas o que mais me chamou a atenção é que esses dramas não se dão pelo preconceito que em outros roteiros clichês eles acabariam sentindo do outro (“ah, ela é fútil” ou “ah, ele é nerd”). Se dão por problemas “de praxte” dos casais, como ciúmes ou falta de comunicação; E por problemas modernos ocasionados pela utilização (ou má utilização) das redes sociais.

Mas ISSO te chamou a atenção?

Sim. Eu explico… A Moda e a Cultura Nerd não são novidades no mundo. Ambas existem há muito tempo e estão na mídia (claro, com variações e as vezes discrepância de popularidade ao longo dos anos). O preconceito entre os pertencentes a qualquer um desses dois segmentos também não são novidade. Ambos, ao mesmo tempo que são valorizados, também são imensamente desvalorizados por tantos outros que julgam saber a verdade sobre eles; E mais, julgam serem melhores por não fazerem parte de um ou outro ou ambos segmentos. Quando retratados na TV e no cinema, na maior parte das vezes vemos histórias estereotipadas que afastam a visão do espectador da única verdade que deveria ser considerada: essas pessoas são normais, são comuns, sujeitas aos mesmos problemas que qualquer um. Não é preciso ser um(a) nerd ou um(a) fashionista pra se identificar com os problemas que eles passam. Os contextos podem ser diferentes, mas as situações na sua essência estão sujeitas a qualquer pessoa.
Existe uns clichês? Existem, existem sim. Não vou negar. Mas até muitos desses clichês são a realidade da maioria das pessoas REAIS que pertencem a esses mundos.

Ver esses dois mundos sendo representados dessa maneira, sim, me chamou a atenção. Como alguém que é nerd assumido (inclusive sendo colunista desse site com título autoexplicativo) e que estudou design e gestão em moda na universidade, me senti duplamente contemplado, agraciado, representado e respeitado. Obrigado aos envolvidos.

Título: Amor.com (Brasil, 2017).
Lançamento: 1 de Julho de 2017
Duração: 1hr32min.
Gênero: Comédia romântica.
Direção: Anita Barbosa.
Elenco: FÍsis Valverde, Gil Coelho, Joaquin Lopes.
Nota: 4/5

 

Dançarino, drag queen, aquariano, admirador de cultura POP, filmes antigos, fast food e com um fascínio por mudar o cabelo e esfumar os olhos.

Comentários