Assunto sério, nerd’s: Estamos ficando velhos demais para isso?

Wendell Almeida . Há 3 anos atrás

O termo “Nerd” vem da cultura escolar americana do século passado e tem algumas teorias de como e onde surgiu. Ele era utilizado para estereotipar, de forma pejorativa e depreciativa, pessoas que tinham gostos vistos como diferentes e exerciam atividades intelectuais mais que a maioria. Há quem diga também, que o termo foi difundido nas universidades americanas, onde, nas festas universitárias, os nerd’s preferiam estudar ao ir as festas e ficarem bêbados, daí vem a ideia do nome, pois a palavra utilizada  no idioma inglês é “drunk”, e por estes não fazerem parte deste grupo, eram chamados de “Knurd”(drunk ao contrário, por adotarem uma postura contrária dos “descolados”), até a palavra ir ganhando forma e se tornar nerd (É uma teoria que parece ser baseada em Game of Thrones. Lógica parecida com: Hold the door / Hodor)

Esse restrito grupo era na maioria das vezes excluído e tinha dificuldade em criar e manter relações no âmbito social. Seu imenso gosto por livros, filmes, desenhos e no passar dos anos, com a tecnologia, criava um rótulo a estes, mesmo que muitas vezes não se enquadrassem ou se reconhecessem como parte do grupo.

Com o passar do tempo, principalmente com o desenvolvimento da tecnologia, os nerd’s passaram a ter um espaço maior na sociedade, mas ainda assim, não tão bem vistos. Bom, os nerd’s da época cresceram, se tornaram profissionais e passaram a levar este universo para sua vida profissional e pessoal, tiveram filhos, e alguns passaram esto a frente.

Nas últimas décadas, a geração Y pode ser vista como a geração que mais desenvolveu o cenário. Este ganhou ramificações como: Gamers, geek’s, pop’s e algumas outras definições, onde antes eram chamados apenas de “Nerd’s”. Essa geração, nascida junto com o crescimento massivo da tecnologia, a dominou rapidamente e a desenvolveu de forma rápida. A geração W (nascidos à partir de 1995) herdou a cultura da Y e criou um cenário ainda mais novo para a sociedade.

Com o patamar bilionário que alcançaram as indústrias digitais, games, apps, redes sociais e outros. O marketing digital, mídias sociais, além de novos “empregos” no mercado digital. Influencers, youtubers, criadores de conteúdo web e muitos outros apresentaram ao mundo o “novo rosto” dos nerd’s, além de demonstrar um novo jeito de empreender no século XXI. O que antes era a cultura de um grupo excluso, hoje é um assunto debatido e muito discutido em: novelas, filmes, estudos científicos, artigos de jornais, revistas e outros. E o que antes eram “apenas joguinhos”, hoje recebem a nomenclatura de esportes eletrônicos, e possuem atletas que se dedicam profissionalmente a isto como nos esportes “convencionais”.

Mas, e então: estamos velhos demais para isso?

Em máquina mortífera, o detetive Roger Murtaugh (Danny Glover) repetia a frase que imortalizou o filme: Estou velho demais para isso. Bom, se formos analisar o Murtaugh, ele sempre dizia estar velho demais para isso, mas o filme teve várias continuações. Ou seja, ele não estava tão velho assim, né?

Em verdade, O universo nerd se expandiu de forma que houve espaço para diversas faixas de idade e gostos, de forma a conseguir englobar diversos grupos. Hoje, os nerd’s estão em todos os lugares e se tornam um grupo cada dia maior. Hoje em dia, é comum pessoas se definirem como tal, além disto, passou a ser uma herança a se transmitir por muitos (principalmente os da geração Y).

Esse universo causa o efeito de que não importa quantos anos você tenha, sempre vai agradecer a Goku por ter salvo a terra, vai achar o Darth Vader um dos vilões mais amados da história e querer uma TARDIS de presente. Ou está velho demais para isso?

Soteropolitano, 25 anos. Administrador, colunista nas horas vagas, poeta, cronista, crítico de filmes da Sessão da Tarde, seriados do SBT e livros que compra sem ter tempo de ler.

Comentários