Baú da Nerd #07- A História do Terror no Cinema

Scárlath Gabardo . Há 4 meses atrás

A indústria do terror se firmou no cinema mundial a partir da década de 20, mas teve seu primeiro filme produzido no ano de 1896, roteirizado e dirigido por Georges Méliès. O curta de 3 minutos se chama Le Manoir du Diable e está disponível na internet para quem tiver interesse em assistir.

A década de 20 foi marcada por sucessos que ganharam remakes anos depois, começando por O Gabinete do Dr. Caligari (1920), o pai dos vampiros, Nosferatu (1922)Häxan – o qual tem uma abordagem muito interessante sobre bruxaria e pode ser aplicado ainda nos dias de hoje – do mesmo ano, e O Fantasma da Ópera (1925). Inspirados na literatura de horror e alguns personagens folclóricos, o segmento originou ‘’Os monstros da Universal’’.

Já no decêndio seguinte, começaram a nascer os clássicos. Inspirados na literatura européia de Bram Stoker e Mary Shelley, Drácula (1931) e Frankenstein (1931), que ainda faziam parte do subgênero dos Monstros, ficaram cravados no imaginário dos espectadores da época e ainda são partes essenciais da história do terror.

Abrindo mão dos personagens caricatos e inserindo o sobrenatural no terror , os anos 60 foram marcados principalmente pelos terrores psicológicos de Hitchcock, como o clássico Psicose (1960) e Os Pássaros (1963)O Bebê de Rosemary (1968) de Roman Polanski, foi um belo exemplo dessa nova vertente que ganharia espaço na sétima arte. O filme marcou gerações com a agonia de Rosemary ao virar alvo de um culto de bruxaria. Ainda nessa época, os filmes de Zumbi também ganharam força com A Noite dos Mortos Vivos (1968) e Epidemia de Zumbis (1966). 

Os anos 70 e 80 foram o Boom dos sucessos de terror. Todos os subgêneros estavam presentes nestas duas décadas e renderam sucessos que tem sequências e remakes produzidos até hoje. 1973 foi o ano do maior e mais polemico longa de terror da época, O Exorcista tirou muita gente das salas de cinema aos prantos. Ainda no mesmo estilo, A Profecia (1976) também mexeu com os nervos de muita gente, trazendo a imagem corrompida de uma criança como o anticristo.

Os Slashers também chegaram com força na época, sendo filmes de baixo orçamento e litros de sangue falso. O Massacre da Serra Elétrica (1974) foi o primeiro de uma série do mesmo estilo, os quais renderam dezenas de sequências. Halloween, A Noite do Terror (1978), com mais 8 filmes e um remake de 2009; Sexta Feira 13 (1980), com 12 filmes; e A Hora do Pesadelo (1984), com 9 filmes.

O gênio Stephen King teve, na época,  duas de suas obras adaptadas para o cinema, Carrie, A Estranha (1976), dirigida por Brian de Palma e O Iluminado (1980), dirigido por Stanley Kubrick.

Os anos 90 e 2000 carregaram a herança desses anos de trajetória do gênero e emplacaram sucesso como Pânico (1996), que foi bem sucedido só até seu terceiro filme, o último da franquia foi uma decepção aos fãs. E Eu Sei o que Vocês Fizeram no Verão Passado (1997), que também possui um assassino mascarado a solta e vítimas adolescentes. Novamente Stephen King aparece com uma obra adaptada, It: A Coisa (1990) também teve muito êxito na época.  A Bruxa de Blair (1999) trouxe o estilo documentário para a cena, influenciando outros longas, como Atividade Paranormal , com seu primeiro filme em 2007.

Os anos 2000 abriram mais o leque de subgêneros, trazendo os filmes de horror como Jogos Mortais (2004) e O Albergue (2005), com cenas pesadas de tortura e agonia. Refilmagens de terrores japoneses como O Grito (2004) e O Chamado (2002), além de filmes de possessão demoníaca, como O Exorcismo de Emily Rose (2005), slasher como Pânico na Floresta (2003) e psicológicos, como Os Estranhos (2008).

A partir daí, nada de muito novo no gênero. Hoje temos uma gama imensa de refilmagens, alguns até melhores que os originais clássicos, contando com o acesso a efeitos especiais e tecnologias melhores que as da época. Porém, os últimos anos trouxeram apostas para clássicos futuramente, sendo eles  Invocação do Mal 1 e 2 (2013/2016) e Annabelle 2 (2017), ambos baseados em fatos reais. E o sucesso sutil e aterrorizante, A Bruxa (2015).

Obviamente há muitos e muitos filmes maravilhosos do gênero faltando nesta lista, mas uma rápida busca pela internet pode oferecer uma extensa lista de longas maravilhosos que não vão te deixar se sentir sozinho…

Soterocuritibana, 24 anos. Um poço raso de paciência, fã incurável de filmes de terror.

Comentários