IT – A Coisa – Obra prima que não assusta tanto

Háron Souzza . Há 4 anos atrás

Não é segredo para ninguém que me conhece, que eu odeio palhaços e tenho um medo absurdo deles. Eu realmente tenho pavor desses seres horripilantes, que em nada são engraçados ou legais (não ao meu ver, desculpa). Sim, eu sei que nem todos os palhaços são iguais ao IT, mas eu tenho certeza que a mania de se vestir de palhaço para assustar as pessoas vai voltar. Eu também odeio aqueles vídeos de pegadinha com aqueles palhaços demoníacos… Eu to escrevendo a palavra palhaço bastante, é o medo tomando conta… Enfim, vamos ao filme.

Um grupo de crianças nerds americanas, que andam de bicicleta, fazem amizade com uma menina, estão a procura de um amigo e são atormentadas por um monstro… Seria esse o enredo de um filme, ou de um seriado?

IT – A Coisa é baseado no livro de mesmo nome, escrito pelo memorável Sthephen King. A história gira em torno de 7 crianças, que juntas, formam o “Losers Club”. No filme, a trama se desenrola com o desaparecimento do irmão mais novo de Bill Denbrough (Jaeden Lieberher) o pequeno Georgie Denbrough (Jackson Robert Scott). Então, uma onda de desaparecimentos de crianças começa a acontecer na cidade de Derry. Determinado a encontrar o seu irmão, Bill reúne os amigos e embarca na mais macabra e assustadora aventura de suas vidas, rumo ao encontro com o palhaço Pennywise.

O primeiro e único filme que eu assisti do Andy Muschietti, foi Mama. Eu gosto da forma como ele dirige Mama, como o elemento principal do filme (o monstro) tem uma importância enorme, mesmo não estando em cena. Ele consegue trazer isso para IT. Há cenas onde o Pennywise não aparece, mas sua presença pode ser sentida, e isso causa alguns arrepios. Sem contar na forma como ele costuma retratar os monstros em ambos os filmes: são macabros, sinistros, com membros que mudam de posição numa torção de arrepiar e agoniar qualquer um.
Não estou de forma alguma comparando ambos os filmes. Sei que são coisas muito distintas, que só carregam o mesmo diretor em comum. Mas é fácil perceber como Andy traz para os seus filmes personagens com características medonhas e bizarras.

O roteiro do filme é bem linear. Não que seja algo chato e monótono, longe disso, é linear no sentido de desenvolvimento. Tudo está casadinho, harmonioso, as coisas vão acontecendo no ritmo certo, com os impactos certos e os alívios certos. Nada é atropelado por um aceleramento desnecessário no enredo. A história não vem socada de informações juntas e emboladas, dando a sensação de confusão. Não, a trama corre no mesmo tempo, do início ao fim, deixando cair os grãos certos de areia na ampulheta. As informações são servidas cada uma por vez, nutrindo aos poucos o seu apetite, deixando sempre um gostinho de quero mais, que perdura por todas as duas horas e quinze minutos de filme (eu nem percebi o tempo passar)

Nome: IT – A Coisa (IT, EUA, 2017)
Data de lançamento no Brasil: 7 de Setembro de 2017
Duração: 2h 15m
Direção: Andy Muschietti
Elenco: Bill Skarsgård, Jaeden Lieberher, Finn Wolfhard e mais
Gênero: Terror, Drama, Suspense.
Nota: 3,5/5

Soteropolitano, 26 anos, publicitário que ama quadrinhos e ganha a vida testando jogos. Fãboy da Blizzard, ama suspense, terror, ficção cientifica e drama.

Comentários