Mick Jagger – 75 anos, vivo e vividos.

Nerd com Dendê . Há 3 anos atrás

26 de julho nosso titã da música faz 75 anos, e para mais de 50 anos atuando em palcos, Mick Jagger já marcou inúmeros atos em sua carreira. De excelentes feitos artísticos a pé frio da seleção brasileira, o líder dos Stones mantem toda energia que tem há décadas de ousadia e visceralidade no mundo do rock.

Infância e Juventude:

Nascido em Dartford, sudeste da Inglaterra, 1943, filho de um professor e uma dona de casa, Michael Philip Jagger se manteve como aluno exemplar até sua adolescência.

Ganhou seu primeiro violão aos 14 anos, e inspirado no blues, começou a tocar com seu amigo Mick Taylor, com quem formou a banda “Boy Blue and the Blue Boys”.

Mick chegou a ingressar na London School of Economics em paralelo à música, mas não tardou de abandonar o curso para investir na carreira artística.

The Rolling Stones:

Jagger já conhecia Keith Richards de infância e, em um reencontro, trocando interesses sobre música, o convidou para formar uma banda, junto a Brian Jones que conheceram em uma casa noturna. Quando formaram, em 1962, The Rolling Stones.

Com a saída de Mick Taylor em 1963, sendo substituído por Bill Wyman, e o ingresso de Charlie Watts na bateria, a banda desenvolveu, conseguindo um contrato com a Decca Records e atingiram o sucesso com os lançamentos de “ (I Can’t Get No) Satisfaction” (1965) e “Stupid Girl” (1966). Selvagens, jovens e rebeldes, os Stones seguiram carreira.

Em 1969 Mick Taylor retornou a banda para substituir Jones na turnê americana, que foi afastado devido a problemas com drogas. Mais tarde, no mesmo ano, Brian Jones foi encontrado morto, afogado em sua piscina aos 27 anos.

Saindo para carreira solo em 1975, Taylor deixa a banda, abrindo espaço para a chegada de Ronnie Wood, que também serviu como apoio após a saída de Bill Wyman em 1993. Wood se mantém na formação atual da banda como guitarra de apoio de backing vocal até hoje, onde se encontram em mais uma turnê mundial, “No Filter Tour”.

Carreira Solo:

Sem interromper as atividades dos Stones, Jagger começou a investir em sua carreira solo, lançando seu primeiro álbum, e bem recebido, o “She’s the Boss”, em 1985. Trazendo anos mais tarde outros três trabalhos: “Primitive Cool” (1987); “Wandering Spirit” (1993); “Goddess in the Doorway” (2001).

SuperHeavy:

Em 2011, Mick se junta a Dave Stewart, Joss Stone, Damian Marley e A. R. Rahman, e formam o SuperHeavy unindo rock, reggae e soul. O grupo de formação eclética lançou apenas um álbum, autointitulado, tendo boa repercussão.

Curiosidades:

  • Além de músico, Jagger trabalhou como ator e produtor. Um de seus trabalhos foi a série da HBO, “Vinyl”, ao lado de Martin Scorsese, que fala sobre a indústria de gravações no cenário musical da década de 1970.
  • Mick tem oito filhos, cinco netos e uma bisneta.
  • A banda Rolling Stones ameaçou terminar algumas vezes e muito disso se deve ao temperamento do vocalista com seu colega de trabalho Keith Richards. Porém o assunto é considerado águas passadas e o próprio músico afirmou que aprendeu a conviver com as desavenças.
  • O show histórico do Stones na praia de Copacabana em 2006 contou com a presença de aproximadamente 1,5 milhões de espectadores e é considerado um dos maiores concertos de rock.
  • Algumas fontes afirmam que Mick e Keith se inspiraram nas batidas do candomblé, quando visitaram um terreiro na Bahia, para a composição da música “Sympathy for the Devil”. Porém a influência africana no som e nas performances são evidentes.
  • Em 1985, para o Live Aid, Jagger e Bowie regravaram “Dancing in the Street” de Martha and the Vandellas, um clipe memorável lançado como single chegando no topo das paradas no Reino Unido.
  • Em 1989 a banda Rolling Stones foi introduzida ao Rock and Roll Hall of Fame.
  • E em 2003 Mick Jagger foi condecorado Sir pela Coroa Britânica, pelos seus serviços à música popular.

 

 

Texto escrito por Luis Fernando

Instagram: @theguyinthejukebox

Conteúdo nerd, com uma dose generosa de dendê

Comentários