Ondine – Uma fantasia real

Scárlath Gabardo . Há 3 anos atrás

“Os selkies vivem como focas no mar, mas possuem a capacidade de se tornarem humanos ao retirar suas peles de foca. Do mesmo modo, basta vestirem novamente sua pele de foca para retornar à sua forma original. Selkies quando estão na forma humana, são excepcionalmente belos e encantadores. Gostam de ir à praia para dançar, sendo nessas ocasiões onde geralmente são capturados.”

O diretor Irlandês Neil Jordan (Entrevista com o vampiro), trouxe em 2009 uma fantasia simples e melancólica, misturando-a com realidade na medida certa, para deixar o espectador imerso na atmosfera mitológica da história, ignorando até a verdade que se fazia presente e óbvia em alguns aspectos.

Syracuse (Collin Farrell) é um pescador que luta contra o vício da bebida e tem uma gracinha de filha, Annie (Alison Barry), que apesar de estar presa em uma cadeira de rodas por conta de seus problemas renais, é absolutamente inquieta e curiosa. Em um dia de pescaria, Syracuse iça sua rede e além dos peixes, um bela mulher é capturada. Pedindo que ninguém mais a visse além dele, o pescador a esconde na cabana abandonada de sua falecida mãe.

 

A mulher se apresenta como Ondine a Syracuse. Ele decide então apresentá-la a sua filha Annie, que não tarda a concluir, com muita segurança  – com base nas muitas leituras que faz –  que na verdade ela se trata de uma Selkie, e tirou sua pele de foca para viver na terra como humana. A partir daí, a relação das duas se estreita de uma maneira muito gostosa de assistir, e os três se tornam quase uma família. A atuação de Alicja Bachleda foi fantástica, ela conseguiu fazer Ondine transmitir uma leveza e ingenuidade muito cativantes.

A ambientação contribui e muito com a atmosfera de magia do filme, que foi gravado na península de Beara, na Irlanda. O litoral frio e com muita vegetação remete a uma fantasia um tanto dark, sem tornar o filme pesado, mas um pouco (ou muito) melancólico. Além da trilha sonora, que conta com a banda islandesa Sigur Rós (quem conhece, já pode  imaginar a contribuição para o clima de taciturnidade).

O final tem uma quebra de fantasia que não destrói a história. Finalmente descobrimos a origem da criatura misteriosa e encantadora, e mesmo em meio ao choque de realidade, o cenário ainda sustenta a magia construída ao longo do filme.

Nome: Ondine
Data de Lançamento no Brasil:
5 de novembro de 2010
Elenco:
Alicja Bachleda, Colin Farrell, Alison Barry…
Direção:
Neil Jordan
Duração:
1h 51min
Gênero:
Drama/ Fantasia
Nota:
5/5

Soterocuritibana, 24 anos. Um poço raso de paciência, fã incurável de filmes de terror.

Comentários