Quadrinho da semana #04 | Fabulosa X-Force

Háron Souzza . Há 5 meses atrás

Fala meu povo, tudo certinho? No quadrinho da semana de hoje eu trago-lhes uma das melhores e mais amargas equipes da Marvel. Um grupo que surgiu da necessidade de conclusões definitivas, pontos finais em histórias que costumavam se repetir. Um esquadrão que faz o serviço que ninguém quer fazer, mas que é extremamente necessário…

Eu estou falando da X-Force, mais precisamente da sua versão “atual” a “Fabulosa X-Force“, não mais comandada pelo mutante Cable mas sim por um baixinho mais “afiado” do que ele.

Na nova versão do esquadrão (Uncanny X-Force, no original) Wolverine se responsabiliza por liderar o grupo formado por PsylockeFantomexDeadpool, Arcanjo e eventuais convidados. E como já é de costume, a lidearnça do esqueleto de metal não tem um tom leve, pelo contrário, aqui o bicho pega e a coisa fica sinistra.

Publicada no Brasil pela Panini como parte do semanal “X-men Extra“, a X-Force trás um novo olhar para as aventuras dos mutantes, brincando com a dualidade entre o certo e o errado, manchando suas paginas com um discorrer sangrento e frenético ao dar vida a um esquadrão que tem como intuito exterminar a existência daqueles que ameaçam a segurança dos humanos, mutantes, ou até mesmo da própria realidade. É papel dos seus membros vetar de forma definitiva a ameaça causada por determinados seres, privando-lhes da segurança de ser “preso” para que possa escapar novamente.

O esquadrão da morte liderado por Logan, enfrenta diariamente dilemas amargos, levando-nos cada vez mais para beirada do abismo entre o heroísmo e a vilaneza. O enredo abordado aqui nós trás questionamentos diferentes, coisas como: “Até que ponto um herói pode matar sem se tornar um vilão?”, “Quem escolhe se alguém pode ou não se redimir?”, “Matar pelo bem maior é a solução ou o problema?”. E é seguindo essas linhas que o roteiro se desenrola, ficando cada vez mais forte e concreto a cada passar de página, apresentando o que há por trás das escolhas pessoais dos seus protagonistas e o quão fundo eles estão dispostos a descer para completar uma missão.

Uma excelente forma de contextualizar caráter, mostrando como o passado, presente e futuro afeta a personalidade e a habilidade de tomar decisões de cada um deles. Um quadrinho de tom sombrio, com uma pitada de crítica social e uma enxurrada de violência que nos leva a refletir sobre o quão puro um herói pode continuar ao completar sua missão com êxito.


São incontáveis as vezes que vemos os protagonistas serem mortos, mutilados ou desintegrados, o que a meu ver só deixa tudo ainda melhor, pois confesso que sou mais “chegado” das histórias que não poupam os detalhes na hora da barbárie. E a arte que ilustra as aventuras do esquadrão são impecáveis nesse ponto, no estilo em si dos traços, não há nada que se possa reclamar, porém não há também nada que se destaque de forma grandiosa, o “serviço” aqui fica coerente, como o que se é esperado das grandes editoras.

Cada um dos personagens do grupo tem a sua função chave para o desenrolar dos fatos, sendo Wolverine o líder que mantem o grupo na linha e comanda as missões, Psylocke a telepata que salva a pele de todo mundo, mas que também é responsável por trazer os leves toques de romance e sensualidade ao contracenar com o Arcanjo, que por sua vez trás para o projeto a sua briga pessoal com o seu eu interior, lutando constantemente para não ceder a loucura do seu alter ego. Já Fantomex entrega ao enredo sua tecnologia, ciência e inteligência, sendo em boa parte dos acontecimentos, o cérebro por trás de tudo, por fim, temos o Deadpool, que como esperado é o dono do alívio cômico.

É um quadrinho para aqueles que gostam de saber como o trabalho sujo é feito, ver os heróis trilhando caminhos obscuros em nome do bem maior. Se você é uma dessas pessoas, pode mergulhar de cabeça nos volumes da X-Force, mas não se esqueça de respirar fundo antes pois o que te aguarda vai ser de tirar o folego…

Nota

Arte: 4/5 Acarajés
Roteiro: 5/5 Acarajés
Cores: 4/5 Acarajés

 

Créditos

Título: Fabulosa X-Force (Uncanny X-Force).
Editora: Panini/Marvel.
Desenho: Esad Ribic e John Lucas.
Roteiro: Rick Remender.
Paginas: 25 por edição.
Imagens: X-Force – Marvel.

Soteropolitano, 26 anos, publicitário que ama quadrinhos e ganha a vida testando jogos. Fãboy da Blizzard, ama suspense, terror, ficção cientifica e drama.

Comentários